» Home » Empresa: História

EMPRESA: HISTÓRIA

» Feira Tradicional - anos 80

» Feira Fimap - Palácio Cristal - anos 80

» Feira Interna - Marjos - anos 90

» Feira Fimap - Exponor - final década 90

» Feira Fimap - Exponor - ano 2004

» Feira Fimap - Exponor - Ano 2010

A Empresa Marjos - Equipamentos Industriais, S.A., foi fundada pelo Sr. Eng.º Amaro Martins, accionista maioritário, e dois sócios (ex- colaboradores). Iniciou a sua actividade, em 28 de Fevereiro de 1980, com sede social na Rua Costa Cabral, Loja 13 -E- Centro Comercial Raione, Porto.

A actividade principal da empresa era a venda de equipamento e serviços para a indústria da madeira, reflectindo, essencialmente, a experiência profissional e "Know How" do Sr. Engº Amaro Martins que, tendo iniciado a sua carreira profissional no Sector ( Madeira e Cortiça), tinha já uma experiência de 10 anos, assente na concretização de  múltiplos e variados projectos.

As operações comerciais tinham como foco essencial Portugal Continental, ilhas e, também, os novos países africanos de língua portuguesa: Angola e Moçambique.
O perfil do fundador, depressa se fez sentir na estratégia da empresa, passando esta a focar-se não só na realização de operações comerciais pontuais, mas, essencialmente, realizando "projectos integrados chave na mão" em Portugal e África.

Na década de 80 e inícios de 90, a empresa cresceu com o sector, e vice-versa, tendo-se rapidamente catapultado para a liderança deste ramo em Portugal.
Para comportar o seu crescimento orgânico, a Marjos mudou de instalações, em 29 de Março de 1982, para a Estrada Exterior da Circunvalação, nº 14 688 - Matosinhos, onde permaneceu até 04 de Abril de 1991. Para consolidação e estabilização da empresa foram adquiridas instalações próprias na Estrada Interior da Circunvalação, nº 14 069 - Porto (Junto à Rotunda dos Produtos Estrela).

Entretanto, a Marjos abandona as operações em África, em 1990, quando a situação política nesses países se torna periclitante e a segurança instável. Nessa altura, a Marjos tinha em Angola cerca de 250 funcionários, que davam formação e apoio profissional às unidades industriais montadas.
 
Em 2001, o novo posicionamento pretendido pela empresa no mercado, foi conseguido com a entrada no capital social do sócio italiano SCMGROUP,  o que implicou a transformação da Marjos numa sociedade anónima.

A entrada do SCMGROUP no capital social da Marjos dá-se, em 27 de Junho de 2001, com uma participação de 5%, traduzindo, particularmente, o interesse estratégico comum às duas empresas em prestarem um serviço de qualidade consistente a longo prazo. O SCMGOUP reforçou, em 2006, a sua posição accionista para 16,21%, numa demonstração de confiança à equipe de gestão e à estratégia da Marjos e como corolário de um excelente relacionamento existente entre ambas as empresas.


A dimensão atingida pela empresa originou  que, no dia 1 de Outubro de 2001, esta transferisse a sua actividade para a Zona Industrial da Varziela, em Vila do Conde.

Seguindo uma política assente no crescimento e na prestação de um serviço de maior proximidade e eficiência aos seus clientes abre, em 2002, uma filial em São Jorge, na Batalha.


É ainda, nesse mesmo ano, que alarga a sua actividade ao mercado brasileiro inaugurando, em Setembro de 2003, uma filial em Água Verde, Curitiba - Paraná, denominada SCMGROUP/MARJOS BRASIL, em associação com o grupo SCM.


Após a constituição desta empresa, criada de raiz pelo Sr. Engº Amaro Martins, e depois do nome SCM ser de novo reconhecido e apreciado no Brasil, a Marjos colaborou na escolha e na negociação de entrada de um novo sócio fabricante brasileiro - Tecmatic, por entender que esta seria uma solução importante para o Grupo SCM.

Concretizada esta acção, o Sr. Engº Amaro Martins decidiu montar uma filial da Marjos no Brasil, tendo iniciado a sua actividade em Bento Gonçalves, passando, posteriormente, para Botel -Curitiba.
Esta filial dedicou-se exclusivamente à concepção e realização de "projectos chave na mão", tendo efectuado variados projectos de grande dimensão e sendo, hoje, uma referência na área dos pisos e do MDF.

Entretanto, a SCM e a Marjos entenderam terminar a sua sociedade no Brasil por razões estratégicas, tendo-se a SCM associado à Tecmatic e a Marjos Brasil iniciado a venda de equipamento para marceneiros e mantido a realização de "projectos chave na mão".


Desde o início da sua fundação que a empresa funcionou numa lógica de parceria com os clientes, apoiando-os não só tecnicamente como, também, apoiando com os capitais próprios e a sua capacidade de financiamento os projectos de clientes que a Marjos considera de referência.

O tipo de gestão praticado pelas empresas e a evolução negativa do mercado na década de 2000, nem sempre permitiu que os projectos industriais vingassem, tendo, em alguns casos, as empresas entrado em processo de insolvência e gerado fortes prejuízos à Marjos.

Só a vontade férrea do Sr. Engº Amaro Martins e a sua capacidade de reacção permitiu que a Marjos ultrapassasse essa fase difícil sem perder a capacidade de iniciativa.

Assim, a Marjos Brasil sentindo o forte crescimento do sector redimensionou a sua estrutura, tendo adquirido novas instalações, no final de 2009, na Fazenda do Rio Grande. A empresa passou a funcionar também como um "porto" para os clientes  portugueses que pretendessem iniciar negócios no Brasil.


A estagnação do Mercado Europeu tem levado a Marjos a continuar a sua estratégia  de internacionalização, tendo, nos últimos anos, desenvolvido actividades em mercados estratégicos nomeadamente: na Europa (países de Leste), América do Sul e África (Angola e Moçambique).


Um marco significativo no percurso da empresa foi a certificação do seu Sistema de Gestão da Qualidade, em conformidade com a norma NP EN ISO 9001 pela APCER, empresa portuguesa de certificação, em Julho de 2004, sendo a única organização no comércio de equipamentos para a indústria da madeira que detém esta certificação.
 

Em 2015 a Marjos assumiu uma parceria com o principal fabricante de equipamentos e soluções integradas para a industria da madeira, Homag Group. Nesse mesmo ano, iniciou o processo de encerramento da filial do Brasil. Não abandonando esse mercado, reestruturou-se e passou a comercializar equipamentos diretamente da sede para esse mercado.


Hoje, a Marjos é de capital 100% português, continuando atenta aos novos desafios que se apresentam estando sempre pronta, seja em Portugal ou no Estrangeiro, a lutar pela liderança no sector, sabendo pela sua experiência que esta só é possível com a realização de parcerias com os clientes, assente na prestação de serviços de elevado nível na área de aconselhamento técnico, financiamento, assistência técnica, formação e oferta de equipamentos tecnologicamente evoluídos, fiáveis e competitivos.


Devido ao reconhecimento pela actividade desenvolvida e ao seu contributo na dignificação do sector madeireiro, ao longo dos anos, a Marjos foi distinguida com diversos prémios de fornecedor de Excelência.


Destaca-se, assim, um percurso pautado pela mudança e inovação, tendo-se afirmado como líder incontestável no mercado português, sendo responsável pela maioria dos projectos efectuados no sector das madeiras, carpintarias em geral e mobiliário, com uma política baseada na criação de parcerias com os seus clientes.